#casamentosimples - COMO VAI SER MEU CASAMENTO

Depois de anunciar a decisão do casamento, a ação imediata é começar a pensar, discutir e planejar como será a cerimônia, a festa... mas, espera! Tem que ter festa?


Neste segundo artigo da série, não quero falar como será meu casamento, mas fazer alguns questionamentos.


Muitas meninas cresceram idealizando o casamento dos sonhos, antes mesmo de conhecer o futuro par. E é bem provável que esse casamento imaginário era na igreja, na praia ou no sítio, que o vestido era branco cheio de pérolas ou de renda, que a noiva chegava num carrão, que tinha pista de dança, bolo de três andares, buquê sendo jogado e bem-casado no final. Mas, quem definiu todas essas coisas?


Descrevi alguns padrões de casamento que certamente fizeram sentido para alguém, em algum momento da história. Mas, por que temos que repetir o que todo mundo faz? Não que sejam ideias ruins, mas eu não me vejo de grinalda, não gosto de bem-casados e não sou chegada em flores, por exemplo. Preciso mesmo incluir isso na minha check-list?


O casamento deveria realmente ter a cara dos noivos, as coisas que eles amam, ser um retrato daquilo que acreditam. Quem disse que não pode fazer casamento temático, oferecer cachorro-quente, entrar de vermelho e decorar com origamis de papel? Se isso representar quem os noivos são e do que eles gostam... por quê não?


Outro fator que muda tudo na hora de decidir como será um casamento é a realidade financeira. Lembra do casamento dos sonhos? Quando você decide casar (e não é rico), percebe que ele pode estar um pouco (ou totalmente) distante da realidade... isso pode destruir um coração ou impulsionar os noivos a meterem os pés pelas mãos. Mas, pensem comigo: vale a pena gastar o que você não tem e criar dividas que no futuro podem prejudicar tanto a vida conjugal? Eu, particularmente, acho que não.


Sei que é difícil falar disso quando se trata de um "sonho" (que as vezes é mais sonho dos pais que dos noivos, ou que só viraram sonho por causa da cultura ou do mercado), mas não é menos especial fazer um almoço pequeno pra família, comemorar num restaurante onde cada um paga o seu, fazer só uma cerimônia sem festa, ou até mesmo decidir casar só no civil. Não é atoa que o mini-wedding (casamento pequeno e simples) virou uma "tendência". Existem mil maneiras de tornar coisas pequenas em memórias inesquecíveis! Dinheiro pode fazer um momento mais feliz, mas um momento feliz não depende de dinheiro.


O meu casamento será como eu e meu noivo gostaríamos de lembrá-lo, com a nossa cara e de acordo com o que o nosso bolso pode pagar. E será único!


Decidir por coisas diferentes do tradicional provavelmente vai custar olhares estranhos, comentários como "mas casamento tem que ter isso...", "aquilo não combina com casamento", "como assim não vai fazer festa?", "vai ficar horrível", "parece carnaval"...


Para todos os casos a resposta é uma: celebrar o casamento é celebrar a união entre duas pessoas, que são diferentes de quaisquer outras. Portanto, não existe roteiro pronto! :)


#DicaPrática: recomendo o site Casando Sem Grana, que se dedica a dar ideias e contar histórias de casamentos alternativos, simples, mas cheios de amor e simbolismos.


A foto é uma cena do filme Questão de Tempo, que é um dos melhores que já vi e uma referência linda de cerimônia de casamento. Vale a pena assistir!


Com amor, de uma noiva sincera.
Sara.


#casamentosimples - COMO VAI SER MEU CASAMENTO #casamentosimples - COMO VAI SER MEU CASAMENTO Reviewed by Sara Dias on 19:00:00 Rating: 5

Um comentário:

  1. Cada dia me torno mais sua fã! (Alexia SolSol). Te amo Sara 💕

    ResponderExcluir

Sara Alencar

Publicitária e criativa.